Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico




ONLINE
1





Partilhe esta Página



Total de visitas: 13407
Os Escritores e suas Relações com a Internet
Os Escritores e suas Relações com a Internet

OS ESCRITORES E SUAS RELAÇÕES COM A INTERNET

 

Em nove meses, usando a internet para divulgar meu trabalho, percebo como é difícil a relação de alguns escritores com seus colegas.  Eles desejam ser lidos, porém, não lhes interessa os textos de seus colegas.  Nem sabem que eles existem, não sabem seus nomes, são apenas outros membros daquele grupo.

 

No entanto, desejam curtidas e comentários.  Sinto cheiro de arrogância no ar. Eu sou poeta e estou divulgando meu trabalho, os demais devem apreciar, podem até comentar, mas só aceito elogios, porque eu sou... Ou sou escritor e tenho livros publicados... Estou aqui apenas divulgando meu trabalho, podem curtir a minha página.   Não escrevem explicitamente, mas percebe-se a soberba na forma de escrever... Eu conheço alguns...

 

No grupo Castelo Literário, somos cinco princesas para atender a todos os membros.  Gostamos de ler as postagens na íntegra e comentar.  Alguns assuntos não me interessam, se for recheado de palavras vulgares e grosseiras, eu simplesmente ignoro, sequer vou curtir.  Também evito os escritores que não curtem os comentários ou não interagem com seus colegas.

 

O escritor, também pode ser tímido, retraído.  Mas nesse caso, nem deveria entrar na internet, e muito menos numa rede social.  Comunicação é fundamental para a continuidade do trabalho literário.  Se você puder arcar com altos custos, pode contratar uma editora e todo o suporte que faz parte do pacote, crítico literário, agente literário, todo os serviços técnicos, e quem sabe secretária e recepcionista também.

 

Mas, se for o contrário e você não tiver dinheiro para a publicação de seu livro e contratar todo o séquito de profissionais, é necessário se comunicar.  Se desejar divulgar seu trabalho, poesias, livros, textos, seja o que for.  Precisa fazer amigos, buscar leitores e interagir com seus colegas. Conhecer e se deixar conhecer.

 

Eu falo muito em reciprocidade entre casais.  Mas a reciprocidade deve ser usada aqui também.  Eu ajudo você, divulgo seu trabalho e você retribui.  Divulgando, comentando, recomendando ou curtindo.  O escritor precisa ser lido, para continuar se inspirando e seguir no processo criativo.  Da mesma forma, precisa retribuir a ajuda recebida.  O compartilhamento, o comentário, a recomendação.   O que é um grupo?  É um conjunto de pessoas com o mesmo objetivo.  Ou as páginas do Facebook?  Para divulgar produtos e serviços.  No caso de escritores, pode ser um produto (livro) ou para mostrar o talento do escritor, com textos ou poesias.  E a relação com os leitores, amigos ou colegas, é relevante.  Editoras monitoram as redes sociais, procurando talentos, uma obra fantástica ou analisar o comportamento de escritores e pretensos.

 

Eu fico incomodada, quando faço um comentário e o colega não percebe ou simplesmente ignora.  Na minha Fan Page no Facebook, nas terças e sextas-feiras é o dia da poesia, costumo compartilhar poesias e poemas de poetas e poetisas, amigos e conhecidos, e eu observo o comportamento dos colegas  alguns não estão nem aí para a parceria, sequer se dão ao trabalho de ir lá na página curtir. 

 

Eu não abro mão de todos os recursos que a internet me proporciona.  Desenvolvi um árduo trabalho, mas valeu todos os dias e noites que passei compartilhando, pesquisando, escrevendo meus textos ou curtindo e comentando em grupos.  Até em algumas confusões eu consegui me envolver, por causa da língua portuguesa.   E o trabalho não pode parar.  Eu nada realizei. E acordo todos os dias pensando assim. Se eu tenho 600 mil visualizações no G+, a meta é Um milhão e depois mais e mais. A terra não para de girar.  A internet não para de se superar e se eu parar, tudo vai desaparecer.  

 

Lembrem-se, reciprocidade é uma palavra mágica.  Ela abre portas e mais portas.  Eu comecei abrindo páginas na internet e lentamente, as portas estão se abrindo.

 

Nell Morato/09.08.2014