Sites Grátis no Comunidades.net Criar um Site Grátis Fantástico




ONLINE
1





Partilhe esta Página



Total de visitas: 12850
Os Caminhos de uma Escritora - Parte 5
Os Caminhos de uma Escritora - Parte 5

 Caminho de pedras... e de flores também...

 

OS CAMINHOS DE UMA ESCRITORA

PARTE 5

 

Os caminhos de uma escritora, eu gosto da palavra “escritora”, se escrevo, logo sou uma escritora.  Não sou importante, não sou famosa, mas sou uma escritora lida.  Meus amigos leem meus textos.  Não quero ser importante e muito menos famosa.  Sempre lutei por muitas causas, saúde pública, educação, transporte, disciplina, entre outras.  Algumas causas são perdidas, e outras, se pode ganhar e o resultado, fazer a diferença na vida das pessoas.  No momento, o meu esforço está voltado para a literatura e a língua portuguesa.

 

Mas, devo voltar ao mês de janeiro e continuar contando a minha trajetória. O mês foi intenso e cheio de novidades, boas e péssimas.  Acabou.  E fevereiro começou pior.  Pensamos sempre, que quando o mês acabar levará junto todos os problemas.  Ilusão!  Fica tudo aqui, no mesmo lugar, só muda no calendário. E a questão que me incomodava, continuou do meu lado, dia e noite.  Como sou uma sobrevivente, da minha antiga vida de turista, consegui burlar a tristeza e me aventurar em desconhecidos caminhos literários, desconhecidos para mim.

 

Em 12 de fevereiro, escrevi um conto para um concurso em Lisboa, “Seduz-me” com Contos de Sedução, que foi aprovado e incluído na coletânea lançada recentemente, pela Pastelaria Estúdios Editora. Em 01 de março, escrevi uma linda carta de amor para outro concurso em Lisboa, só que para Papel D’Arroz Editora, não ganhei o concurso, mas a carta foi incluída numa coletânea, Cartas de Amor que duram para sempre, já lançada. 

 

Ao mesmo tempo, me aventurei na poesia.  Como uma forma de desabafar o tormento, que me acompanhava.  Um pouco complicado, porque eu não consigo enganar a mim mesma.  Não adianta olhar no espelho e dizer: chega! Agora você vai esquecer isso e aquilo!  Vai mudar de vida, vai recomeçar! Não funciona assim.  E precisei lidar com o problema, que me seguia por toda a parte.  Não estava preparada para tantas novidades ao mesmo tempo.  De repente, escritora, rede social, novos amigos, universo literário e a confusão emocional.  Aí me convidaram para colaborar com um blog e passei a escrever crônicas, assuntos do cotidiano de todos nós.  Gostei muito da experiência, e ao mesmo tempo percebia que a minha vida era interessante, pelo menos até ali. Durante dois ou três meses, eu ficara furiosa, louca da vida com o que estava acontecendo comigo, mas os dias foram passando... E, ufa!  Não bati em ninguém, não destruí nada, amassei tudo, muito bem amassado e transformei em energia criativa.

 

A minha amizade com a escritora Cristiane Vilarinho seguia firme e forte, e elaborávamos projetos literários. No dia 04 de abril, Jorge Marques da Silva pediu para ser meu amigo no Facebook.  Aceitei, e curiosamente, quando vi as primeiras postagens dele, da Mundo Produções, acendeu uma lâmpada na minha cabeça:  “ele vai editar o meu livro, tenho certeza!”  A ideia me pareceu razoável, como uma decisão. Passei a colaborar com o blog dele, postando minhas poesias.  Outra pessoa que conheci de uma forma abrupta, no Grupo Escritores ajudando outros escritores, a minha querida amiga Danka Maia, também me convidou para colaborar com o blog dela.  Grande escritora e pessoa linda, e além de tudo reside num paraíso, no litoral do Rio de Janeiro.

 

Entrei em mais um concurso na Papel D’Arroz Editora, “Eu tenho um sonho”. Mas no decorrer do prazo para envio dos contos, a editora me convidou para ser jurada do concurso.  Depois de analisar a situação, porque eu teria que desistir da participação do meu conto e apenas escolher o de outra pessoa.  Optei em ser jurada.  Responsabilidade que ainda não havia experimentado, e que viria a enriquecer o meu currículo.  Concluído o concurso, dediquei-me a escrever “Aquela Viagem”, mais um conto da Papel D’Arroz Editora.  Tarefa difícil, pois eram muitas histórias fluindo ao mesmo tempo, e não sabia o que deveria ou queria escrever.  E a editora mais uma vez decidiu por mim.  Convidou-me para incluir na coletânea de “Eu tenho um Sonho”, um conto meu, como jurada, com o mesmo tema.  Perfeito!  Era a minha trilogia.

 

Escrevi: uma Carta de Amor, Eu tenho um Sonho e o epílogo, Aquela Viagem. Um tema, uma história, em três partes.  Na minha modesta opinião ficou muito bom.  Tanto, que foram aprovados pela Editora, e as coletâneas serão lançadas em setembro.

 

Antes disso, fechei um contrato com Sr. Jorge Marques da Silva e a Mundo Produções, para publicação e lançamento do meu livro, o romance “Ensaios para a lua de mel”. A capa será uma obra de arte do artista plástico italiano, Guido Boletti, que ora reside em Minas gerais. E as coincidências entre nós foram crescendo, a capa representa isso, por isso e por aquilo.  Que iremos revelar somente em setembro, quando será o lançamento do romance. 

 

Eu e Cristiane Vilarinho inauguramos um site literário, para lutar pela literatura de língua portuguesa.  Literárias Mosqueteiras.  Site que falará de assuntos polêmicos, que usará as palavras e o talento de escritores parceiros/colaboradores, para falar a verdade, sem restrições ou censura.  Nosso objetivo é impulsionar a literatura, queremos estar nas livrarias e nas casas de nossos leitores.  Também, disponibilizamos a história de nossa literatura, para consulta e pesquisa. 

 

Julho foi um mês e tanto.  Cheio de emoções e novidades literárias. As escritoras Suely Sette, Vólia Loureiro, Maria Luíza Faria, Cristiane Vilarinho, e eu decidimos abrir um grupo literário no Facebook.  Castelo Literário, e a capa é o lindíssimo Castelo de Óbidos de Portugal. Onde estamos desenvolvendo um trabalho mais ao lado dos escritores, comentamos suas publicações e nos disponibilizamos a sanar dúvidas e colaborar no que for necessário, em todos os assuntos relacionados com o universo literário.

 

É desagradável para o escritor não ser lido.  Que o seu texto seja ignorado, então é preciso interagir, ler, comentar, sugerir.  Existem as dificuldades para publicar um livro, a maioria dos escritores que conheço na internet enfrenta o problema.  Então, pelo menos precisa ser lido.  Seus escritos não podem simplesmente ser desprezados.  Devem ser apreciados e comentados. É o objetivo do grupo Castelo Literário.  E também, criamos o blog com o mesmo nome, para as administradoras publicarem seus escritos pessoais e os contos que escrevem em parceria. Somos princesas, afinal, estamos morando em um Castelo.  Temos uma sintonia perfeita e nos respeitamos.  Nenhuma decisão é tomada sem a opinião de todas.  Somos cinco pessoas diferentes, mas com os mesmos direitos e deveres.

 

Cheguei em 31 de julho, exatamente nove meses depois de publicar meu livro no Clube de Autores, entrar no Facebook e em outras redes sociais. Aprendi muito no período, mas também ensinei.  Trabalhei muito para o meu crescimento literário.  Cresci tanto e ao mesmo tempo não cresci absolutamente nada.  Quando eu comecei não queria nada, nem pensava em conquistas literárias.   Mas, acontecem coisas em nossas vidas que mudam totalmente os nossos planos, ou no caso, nos empurram a fazer planos como uma maneira de sobreviver às dificuldades e dissabores que encontramos em nosso caminho.  Sou uma pessoa diferente agora.  Ainda a mesma que quer denunciar tudo que está errado, ainda a mesma que usa o senso comum para melhorar o espaço que divide com os amigos, ainda a mesma que quer ajudar a todos.  Mas... Alguma coisa mudou. Tenho tanto dentro de mim, que transborda. Que a poesia absorve, mesmo que em determinados momentos nem ela é suficiente.   E agora tenho planos.  Planos no universo literário para a Nell, meus amigos e outros tantos escritores.

 

Como escrevi lá no blog Castelo Literário, sou uma romântica rebelde que precisa melhorar muito, muito mesmo,  para ser digna do comentário que  recebi no site “que sou uma grande escritora”.  Queria mesmo era ser feliz, numa linda casinha isolada, vivendo de amor e quem sabe poesia.  Terá que esperar, antes preciso trabalhar muito, para me transformar numa boa escritora.  E como já assumi muitos compromissos, vamos em frente, porque Nell Morato não abandona os amigos! 

 

Sou eu e a minha pequena história, de como me transformei numa escritora apaixonada pelo amor.  Independente das adversidades eu acredito no amor verdadeiro... Como escrevo em meus textos, porque eu não falo do amor de outras pessoas, falo do amor que tenho dentro de mim, da mesma forma que da amizade e do respeito.

Nell Morato/31.07.2014